Ministro inaugura em Mato Grosso do Sul usina com energia mais cara do Brasil

Megawatt da William Arjona custa R$ 1.741, ante os R$ 114 do MWh gerado pelas hidrelétricas

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, cumpre agenda em Mato Grosso do Sul nesta quarta-feira (28). Um dos eventos dos quais ele participará será a reinauguração da Usina Termelétrica (UTE) William Arjona.

O Custo Variável Unitário (CVU) do megawatt-hora (MWh) da unidade localizada em Campo Grande é 15 vezes mais caro do que o MWh gerado pelas hidrelétricas. Enquanto 1 MWh da energia advinda da água custa R$ 114, o valor do mesmo MWh da térmica movida a gás natural é de R$ 1.741,11.

Conforme a agenda, a usina William Arjona terá capacidade para produzir 190 MW de energia, equivalente a 20% do consumo do estado. Esse tipo de produção energética é mais caro, já que costuma ser ativada quando os níveis de água dos reservatórios das hidrelétricas estão muito baixos.

A Usina William Arjona fica na saída para Sidrolândia e pertence ao grupo Delta. Luis Fernando Vianna, o presidente da empresa, disse que o novo marco regulatório do gás se tornou o momento mais propício para atuação efetiva na geração de energia elétrica. Para Vianna, diante das condições hidrológicas e consequente impacto, as termelétricas ganham cada vez mais importância para uma demanda que é de toda a sociedade.

Bento Albuquerque classificou a reativação da UTE como importante neste momento em que se precisa de geração termelétrica, contribuindo para o suprimento de energia elétrica do país. Já o governador Reinaldo Azambuja, do PSDB, a reativação da usina traz para o Mato Grosso do Sul um incremento na arrecadação de impostos e fortalece a posição de destaque do Estado no mercado de gás.

Depois da inauguração na Capital, Albuquerque segue para Corumbá, onde segue agenda e conhece projeto de universalização de energia elétrica na região do Pantanal.

Facebook Comentários

Vamos Anunciar?