Adolescentes a partir de 12 anos com comorbidades podem se vacinar contra Covid em cidade de MS

Cerca de 70% das doses da Pfizer destinadas ao município de Itaporã (MS) serão aplicadas em pessoas deste público específico. Cerca de 70% das doses da Pfizer destinadas ao município de Itaporã (MS) serão aplicadas em pesso Cerca de 70% das doses da Pfizer destinadas ao município de Itaporã (MS) serão aplicadas em pessoas deste público específico. as deste público específico.

A partir desta sexta-feira (18), em Itaporã (MS), a 233 km de Campo Grade, adolescentes acima de 12 anos que tenham comorbidades específicas já podem se vacinar contra Covid. O imunizante da Pfizer que será administrado neste grupo.

A coordenadora de atenção básica do município, Aline Oviedo, destacou que 70% das doses da Pfizer enviadas ao município, nesta sexta, serão utilizadas para vacinação do novo grupo. Ao todo, foram destinadas 280 doses do imunizante, sendo 196 só para as adolescentes com doenças pré-existentes a partir dos 12 anos.

A vacinação é voltada para pessoas que tenham uma das comorbidades relacionadas no Plano Nacional de Imunização (PNI) como prioritárias para a vacinação contra a Covid-19. É necessário apresentação do laudo médico no ato da vacinação. As doenças pré-existentes são:

  • Diabetes mellitus;
  • Pneumopatias crônicas graves;
  • Hipertensão Arterial Resistente (HAR);
  • Hipertensão arterial estágio 3;
  • Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo e/ou comorbidade;
  • Insuficiência cardíaca (IC);
  • Cor-pulmonares e Hipertensão pulmonar;
  • Cardiopatia hipertensiva;
  • Síndromes coronarianas;
  • Valvopatias; Miocardiopatias e Pericardiopatias;
  • Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas;
  • Arritmias cardíacas;
  • Cardiopatias congênita no adulto;
  • Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados;
  • Doença cerebrovascular;
  • Doença renal crônica;
  • Imunossuprimidos;
  • Hemoglobinopatias graves;
  • Obesidade mórbida Índice de massa corpórea (IMC) ≥ 40;
  • Cirrose hepática.

Além das especificidades das comorbidades, Aline Oviedo disse que um laudo assinado por médico, contendo o número de identificação da doenças também deve ser apresentado no ato da vacinação.

Para a coordenadora, a vacinação das adolescentes com 12 anos ou mais e que tenham comorbidades é um passo à frente na imunização de toda população do município. “Então, o desejo é imunizar a cidade toda. A gente sabe que a vacina é a maior esperança. Nós temos uma distribuição muito rápida no município. Temos nove unidades de saúde, elas ficam abertas até às 20h para que as vacinas sejam aplicadas”, destacou Aline.

De acordo com o vacinômetro, plataforma do governo estadual que mostra o avanço da vacinação em Mato Grosso do Sul, Itaporã já aplicou 10.360 doses, sendo 7.224 com a primeira e 3.136 com a segunda.

Vacinação de adolescentes

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, no dia 11 de junho, o uso da vacina da Pfizer contra a Covid-19 em adolescentes a partir dos 12 anos de idade no Brasil.

Agora, a bula da vacina no país passará a indicar esta nova faixa etária; antes, ela só podia ser aplicada em adolescentes a partir dos 16 anos. A vacina é a única que pode ser aplicadas em menores de 18 anos no Brasil.

Em Mato Grosso do Sul, a secretaria estadual de Saúde (SES) publicou uma resolução nesta sexta (18), autorizando os municípios a vacinarem contra Covid adolescentes a partir dos 12 anos de idade, com comorbidades graves utilizando as doses da vacina da Pfizer.

O secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, explica que a inclusão de adolescentes acima de 12 anos com comorbidades é devido a nova cepa do coronavirus que tem apresentada alta transmissibilidade entre adolescentes. “As comorbidades deixam as crianças mais expostas ao risco. Nosso objetivo é proteger a população contra a Covid. Continuamos no enfretamento contra a doença”, disse.

Facebook Comentários

Vamos Anunciar?